Biografia 

Gilda Nunes Barata nasceu, em Lisboa, a 1 de Junho (Dia Mundial da Criança) de 1973.

Estudou no Colégio do Sagrado Coração de Maria, entre os 6 e os 16 anos de idade.

É licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Católica de Lisboa.

É mestre em Literatura pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, cuja tese se intitula A presença na ausência em Teixeira de Pascoaes e Mário Beirão.

É doutorada em Filosofia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, designando-se a sua tese de doutoramento: A Fenomenologia enquanto lugar total da vida: diálogo poético-amoroso entre Merleau-Ponty e alguns pensadores e artistas.

Prestou durante vários anos apoio jurídico à Câmara Municipal de Lisboa, sendo actualmente técnica superior jurista.

Actualmente, desempenha funções no Gabinete de Estudos Olisiponenses, instalado no Palácio Beau Séjour.

Publicou os seguintes livros de poesia: Quando o rio e a maré confluem; Vertigem velada; A última ceia invadida pelas ondas; A luz negra no seu roxo amanhecer.

Publicou na Imprensa Nacional - Casa da Moeda (INCM), em 2004, a sua Tese de Mestrado, intitulada A presença na ausência em Teixeira de Pascoaes e Mário Beirão, e nas Edições Sílabo, em 2012, a sua Tese de Doutoramento, intitulada A Fenomenologia Enquanto Lugar Total da Vida - Diálogo poético-amoroso entre Merleau-Ponty e alguns pensadores e artistas.

Por ocasião dos 30 anos da Revolução do 25 de Abril, publicou o livro Onde é que você estava no 25 de Abril? que apresenta depoimentos de 30 personalidades do panorama político e cultural português, à data das comemorações dos 30 anos da Revolução, que narram as suas vivências mais intimistas durante o período revolucionário. Este livro é ilustrado com fotografias pessoais e documentação, parte delas inéditas, cedidas pelos depoentes convidados da autora.

Publicou os livros infanto-juvenis: O que é a saudade, querido José Maria?; Coisas de amarração; Na terra das mil coisas; Zangaram-se as cores do arco-íris!; Rockinho, por um mundo melhor!; Um xaile com notas a chorar; Saudade, meu amor?; Lisboa, princesa do Tejo e do mar (Plano Nacional de Leitura);  Zubaida e Columbina; A semeadora de estrelas; Um Lugar Encantado e Um rinoceronte e uma gaivota na Torre de Belém / Uma visita guiada à Torre de Belém.

Integrou o projecto A ler, aprender - museus para contar e encantar com os escritores Alice Vieira, Luísa Ducla Soares, António Torrado, Isabel Alçada/Ana Maria Magalhães, José Jorge Letria, com um conto sobre o Museu Arqueológico de S. Miguel de Odrinhas, chamado Duas irmãs em Odrinhas.

O seu conto infantil "Um dicionário mágico" integra um livro de português do ensino secundário nacional.

Publicou dois contos infantis na revista infanto-juvenil Aprender a olhar. Um sobre o Museu da Presidência da República: "O amor da florzinha da Índia pela papoila do Japão" e o outro sobre a Colecção Berardo: "O dicionário mágico".

Escreveu a peça de teatro La nuit brouillant mês rêves, a convite do Instituto Camões, para a comemoração de um festival de cultura portuguesa, no teatro Gare au Théâtre, em Paris.

Colabora ocasionalmente com publicações relacionadas com as suas áreas científicas e literárias.